30 de dezembro de 2008



Ano Novo.... Vida Nova!!!
Não tenho o hábito de seguir este clichet!; a cada entrada de ano renovam-se vontades, estabelecem-se objectivos, pede-se a realização de desejos.....etc.
Prefiro:
Ano Novo: Vida Renovada!!!

Amigos:
Deixem tudo o que é menos bom em 2008 transportando para 2009 apenas o que aconteceu de bom e vos trouxe felicidade. Que seja um ano que possa superar todos os vossos maiores desejos.
Que tenham uma BOA ENTRADA!!!!
Desejo-vos um EXCELENTE ANO DE 2009!!!!
MUITAS FELICIDADES, AMOR, PAZ..... !!!!!
(e tudo mais o que desejarem!)


Um brinde a todos vós!!!

27 de dezembro de 2008

Ainda o Natal!!

Ontem à noite dei por mim a tentar deixar um comentário nos blogues amigos alusivo ao Natal... Não o fiz! Seria um verdadeiro disparate pelo inoportuno que iria parecer e ser.
Mas sinto-me em divida para connvosco: não vos deixei uma só palavra que pudesse manifestar votos de um Feliz Natal...
É por isto que decidi fazer este pequeno post: para vos dizer que espero que tenham sido muito felizes neste Natal!! E que essa mesma felicidade seja uma constante em cada dia do ano que está quase a começar!
Lisa, Linda, Lia, Marina, Vera, Paula, Branca, Cátia, Patricia, Tite, Sónia, Sininho, Cris, Observador, Pedro, Gena: um presente de Natal para cada um de vós!!!


Façam o favor de abrir...
Lá dentro encontrarão amizade, carinho, respeito, admiração...
Todos os presentes são diferentes porque também vocês, meus queridos, o são!!! Mas todos, todos eles especiais porque é exactamente o que conseguis ser para mim: ESPECIAIS!!

If You Were a Sailboat



Esta é uma daquelas músicas que de cada vez que ouço fico a gostar ainda mais!!

O Amor, Quando se Revela

"O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.
Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há-de dizer.
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer...
Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pra saber que a estão a amar!
Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!
Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar..."

Fernando Pessoa

25 de dezembro de 2008

Feliz Natal



Já muito atrasada, mas sem nunca vos esquecer, minhas queridas amigas e amigos, desejo-vos um FELIZ NATAL!!!

19 de dezembro de 2008

O meu tempo...

A minha eterna falta de tempo...

A minha corrida atrás do tempo...

16 de dezembro de 2008

Bbbbrrrrrr....

Praia, sol, mar, calor, .....




Uma miragem....

4 de dezembro de 2008

Gonçalito

Hoje é um dia muito especial!
O meu sobrinho completa um aninho de vida!!!!



Há um ano atrás, por esta hora, havia um aperto no peito, um nó no estomago... (a mamã teria apertos bem maiores, com toda a certeza!!)... O papá neeerrrrvvosssoooo!!!! E a tia (armada em forte mas com a lágrima no canto do olho) "tem calma... ainda falta algum tempo..." E faltava!!! Só ao final da tarde davas ares da tua graça!!! Correu tudo muito bem Graças a Deus!!! O meu coração, a minha mente dividiam-se entre várias emoções, vários pensamentos, inúmeras recordações.... Mas apareceste e tranquilizaste os corações mais frágeis da familia!! A água não corre duas vezes debaixo da mesma ponte, mas....
E agora estamos quase a soprar uma velinha!!!!

Suspeita para dizer, mas estás lindo, esperto, vivaço... e tantas outras coisas que o meu orgulho de tia iria encontrar para mencionar!

Cabe-me felicitar os papás pelo lindo bonequinho que trouxeram às nossas vidas!! Pela felicidade que trouxe à vida da prima! (e da tia... uhm.... e dos avós.... uhm...)

Ao Gonçalo,
PARABÉNS, PARABÉNS, PARABÉNS
meu querido!
Tudo o que a vida tem de melhor, é o que te desejo hoje e sempre!!

27 de novembro de 2008

Filhos do Coração

A Grande Reportagem da TVI "Infância Traficada", conduzida pela jornalista Alexandra Borges, trouxe ao conhecimento de muitos de nós portugueses a realidade de situações que não se imaginam serem possíveis em pleno século XXI.
Nesta reportagem é-nos dada a conhecer a atrocidade da vida de pequenos escravos que vivem no Lago Volta, na República do Gana. As crianças são vendidas pelos pais, traficadas, submetidas a uma vida de escravatura, chegando a trabalhar mais de 14 horas por dia.Quando Alexandra Borges regressou a Portugal, convidou Luís Figo para escrever um livro infantil em co-autoria com a mesma.
E o livro tornou-se uma realidade - "Filhos do Coração" - cujos direitos de autor revertem a favor destas crianças.
Agora surge o cd, com o mesmo titulo, também com o intuito de apoiar esta causa. Além das vozes portuguesas que nele participam, conta, também, com o apoio institucional da Fundação Luís Figo, TVI, entre outros.



Ao juntarmo-nos a esta iniciativa podemos contribuir para ajudar a devolver a infância a centenas de crianças. (p.v.p livro - €14,45; p.v.p cd - €3,00)
Os fundos conseguidos revertem a favor da organização "Touch a Life Kids". No site desta Organização podemos encontrar provas do trabalho que desenvolvem, informações sobre as acções em cada um dos países em que actuam, ...., permite-nos um maior e melhor conhecimento da realidade das missões a que se propõem.
Cerca de mil euros é o valor que garante segurança, alimentação, saúde e educação a cada criança resgatada. As crianças resgatadas não são NUNCA devolvidas às suas familias: voltariam a ser vendidas. O seu futuro ficará assegurado pelo Orfanato Village of Hope, na cidade de Accra (capital do país) por um grupo de missionários americanos.

Mais uma vez, com muito pouco podemos contribuir para uma imensidão; com grandes grupos muito facilmente se angariam várias vezes mil euros...

E porque o mote desta acção é mesmo este,: "vamos libertar os pequenos escravos do século XXI".

20 de novembro de 2008

"Durmo ou não?"

"Durmo ou não? Passam juntas em minha alma
Coisas da alma e da vida em confusão,
Nesta mistura atribulada e calma
Em que não sei se durmo ou não.

Sou dois seres e duas consciências
Como dois homens indo braço-dado.
Sonolento revolvo omnisciências,
Turbulentamente estagnado.

Mas, lento, vago, emerjo de meu dois.
Disperto. Enfim: sou um, na realidade.
Espreguiço-me. Estou bem... Porquê depois,
De quê, esta vaga saudade?"
Fernando Pessoa

12 de novembro de 2008

Árvore de Sonhos (II)

Mas, para seu espanto, Cassandra disse-lhe:
- Querido, não te assustes. Vem cá…
A medo, mas a observar o olhar meigo de Cassandra, João aproximou-se.
- Que linda árvore de Natal! Só faltam os presentes, a família e uma mesa com doces: e tudo fica pronto para comemorar a noite de Natal! – exclamou Cassandra, com todo o seu carinho.
João não conseguiu controlar as lágrimas que teimavam em inundar-lhe os olhos. Já começavam a correr-lhe pela face seca do frio de Inverno.
Cassandra, de forma cautelosa, baixou-se e abraçou o menino.
- Diz-me querido, o que te faz chorar?
A muito custo, João controlou-se e conseguiu dizer algumas palavras:
- Tenho esta árvore… mas não tenho mais nada para a minha família comemorar o Natal. O meu pai trabalha muito e anda sempre zangado, a minha mãe está muito doente… não sei o que eu e os meus irmãos vamos comer na noite de Natal e sei que não vamos ter presentes…
Nesse momento, passou Pedro na companhia dos pais: brincavam com a neve. Faziam lindos bonecos, atiravam bolas uns aos outros… As suas gargalhadas não os deixaram passar sem se fazerem notar. Pedro, ao ver João na companhia de Cassandra começou a troçar dele. João não entendia o porquê daquela atitude, mas Cassandra sabia. Cassandra sabia que era chamada dos mais diversos e desagradáveis nomes pelos seus vizinhos; e parecia que nem a algumas crianças isso escapava.
Dias depois, era véspera de Natal.
Pedro andava pelas ruas a contar aos amigos o número de presentes que tinha na sua magnífica árvore, os doces deliciosos que a mãe estava a preparar para aquela noite.
João estava sentado com os irmãos perto da porta de casa a partir alguns galhos de árvore que iriam servir para aquecer a sua casa.
Como eram diferentes os seus mundos…
Pela primeira vez em dezoito anos, Cassandra percorre as ruas da aldeia. O espanto de todos era impossível de disfarçar. Burburinhos passavam de boca em boca. Mas o que estaria a acontecer? Porque teria tal pessoa vindo à aldeia? O Sr. António dizia até que poderia ser um mau presságio!
Cassandra dirigiu-se a casa da família de João. Entrou e, para desalento de todos os que ficaram de fora, ninguém soube o que se passou dentro daquelas paredes.
Cerca de uma hora depois, João, os seus pais e irmãos saem com Cassandra em direcção à casa desta.
Quando entram não queriam acreditar! Uma casa confortável, quentinha, uma mesa não muito abastada mas com tudo o que nunca haviam sequer experimentado; uma árvore de Natal minuciosamente decorada com alguns presentes em seu redor… Tudo como se de um sonho se tratasse. Mas era real!
Todos comeram, brincaram, riram… até Cassandra voltou a viver o Natal. Viveram uma noite que nunca iriam apagar das suas memórias.
No dia seguinte, quando João acordou, a sua nova amiga e o seu pai estavam na sala a conversar com um sorriso estampado na cara. Curioso, aproximou-se.
- João, a Cassandra já vive sozinha há muitos anos e não tem família. Convidou-nos para virmos morar com ela. O que achas?
O menino não coube em si de tanta felicidade. Não sabia se estaria a sonhar, se estaria acordado, não sabia o que dizer…
Era bom demais. Todos os seus problemas iriam ter um fim: o pai que já não tinha que trabalhar demais para dar de comer à família, a mãe que podia ter condições para se curar das suas gripes constantes, ele e os irmãos iriam poder comer como todas as outras crianças, todos passavam a dormir numa cama quentinha…
Cassandra pegou-o pela mão e dirigiu-se para a porta. Caminharam alguns metros e perguntou-lhe:
- Lembras-te daquela árvore de Natal? – apontando para o pequeno pinheiro ainda com os restos de algumas fitas de papel.
- Sim...- respondeu ele, expectante
- Foi junto dela que recebemos os nossos maiores presentes de Natal! – exclamou Cassandra.
O menino entendeu o sentido de cada palavra que ela tinha acabado de dizer.
A neve caía, o vento frio soprava, mas nada poderia interromper o abraço que houve a seguir àquelas palavras. O calor do Amor era muito mais do que o frio do Inverno.

10 de novembro de 2008

Árvore de Sonhos ( I )

Era chegado o momento de se começar a preparar o Natal. Estávamos a escassos dias de mais uma noite mágica.
Nas ruas a neve caía. As casas, enfeitadas de luzes, sobressaíam naquele nevoeiro da manhã. As pessoas andavam atarefadas, como era hábito, para que nada pudesse ficar em falta. Arranjavam a árvore de Natal, faziam bolinhas, compravam presentes…
À excepção de uma única senhora.
Esta ficava a observar os passos de cada um dos seus vizinhos.
Cassandra era uma senhora de meia idade, que vivia numa luxuosa vivenda cercada de arbustos que a deixavam isolada dos restantes habitantes da aldeia. Só a sua localização lhe permitia observar o que se passava: ficava no ponto mais alto da aldeia. Para ela, o local era o ideal: nunca poderia ser observada por ninguém.
Cassandra não era uma pessoa muito querida pelas gentes da terra: apesar de todos falarem nela, ninguém a conhecia, ninguém sabia nada acerca da sua vida. A vida de Cassandra era para todos um mistério. Havia comprado aquela casa há já cerca de dezoito anos para a qual se mudou sozinha. Nunca se deu a conhecer e ninguém lhe conhecia qualquer visita… Nem o Sr. António, que era quem sabia tudo da vida daquela aldeia.
Cassandra era, de facto, uma pessoa solitária: tinha perdido o marido. Filhos: nunca teve. Nada lhe importava na vida. Sentia-se só e sem esperança no mundo.
No entanto, não era a mulher que todos julgavam ser. Não! Ela era uma mulher de muitos e generosos sentimentos.
As marcas de uma vida muito dolorosa e amarga faziam-na chorar dia após dia. Quando ali chegou tinha a esperança de poder continuar a sua vida: sozinha mas com a companhia de todos aqueles seus amáveis vizinhos, todas aquelas maravilhosas crianças…
Mas este seria apenas mais um ano em que, para ela, não iria haver Natal. Há muito tempo que perdera o sentido.
Pedro e João são dois meninos desta aldeia. Têm sete anos de idade; um mês de diferença.
Pedro é filho do casal mais abastado da aldeia. Andava radiante com a chegada da véspera de Natal: um dos momentos do ano que mais gostava, tal como qualquer criança da sua idade.
Já João mostrava-se tristonho.
Os pais de João eram pessoas bastante humildes. O pai tinha o seu ganha pão na agricultura e a mãe não gozava de boa saúde. João era o mais velho de 4 irmãos. Tudo naquela família era feito com muito sacrifício.
Pedro, na sua casa, tinha já uma árvore de Natal rodeada de imensos presentes que o deixavam num êxtase incontrolável; João tinha visto negada pelo pai a hipótese de ir cortar um pinheiro para decorar com algumas fitas de papel de havia recortado.
Brincava com os seus irmãos, junto ao calor da lareira, enquanto a mãe, com alguma dificuldade, preparava uns ovos para o jantar de todos. Os seus pensamentos pareciam estar ausentes. E estavam. Quando pediu ao pai se poderia cortar um pinheiro não foi por falta de preocupação com a Natureza. Viu os pais de todos os seus amigos a fazê-lo e achou que mais um não faria a diferença. Quando viu negada essa hipótese, deslocou-se ao local onde tinha visto o seu pinheiro, levou consigo todas as fitas de papel e decorou-o. Ficou sentado a olhar aquela que achava ter sido a sua mais bonita obra dos últimos tempos.
Sem perceber, estava bem próximo da casa de Cassandra que, enternecida, chorava ao espreitar tão doce menino. Logo que deu pela presença da senhora, levantou-se pronto para voltar a casa.
(continua)

31 de outubro de 2008

Casa do Gil

No inicio da semana, numa conversa de amigas, tive conhecimento do Projecto CrioNatal 2008.
É um projecto desenvolvido pela Crioestaminal para auxilio à Casa do Gil.
O Projecto CrioNatal 2008 pretende reunir os melhores contos de Natal que, posteriormente, irão ser reunidos num Livro de Contos de Natal. Mas não é este o ponto mais relevante!
Todos aqueles que aderirem a esta iniciativa (escrever e enviar para a Crioestaminal), por cada conto a empresa compromete-se a doar 50 euros à Casa do Gil. (Note-se: estas quetões foram confirmadas)

Mostra-nos que com um pequeno gesto podemos fazer algo...
Foi com muita pena que tive conhecimento desta iniciativa já em cima da data limite de entrega (termina hoje, 31 de Outubro)...
Poderia fazer-se muito mais...

O meu conto está quase pronto; espero conseguir terminar...

30 de outubro de 2008

Dia Nacional da Prevenção do Cancro da Mama


Hoje, 30 de Outubro, é o dia de Prevenção do Cancro da Mama.
Pelo país estão a desencadear-se várias ondas de sensibilização para este, que, é um dos cancros que quando detectado atempadamente, tem 98% de hipótese de cura.
Em várias cidades, faz-se o apelo à Mulher para que não descure NUNCA a importância do auto-exame e procura-se, também, quebrar o grande tabu que é, ainda, o cancro. (entre outras iniciativas)

Mas não quero escrever nada como se de uma noticia copiasse.
Quero sim, desejar a maior das forças a todas as Mulheres que lutam contra este grande inimigo que procura dilacerar-lhes corpo e alma.
Quero dar os parabéns e dizer o quanto admiro todas as grandes MULHERES que já passaram por todo o sofrimento causado por esta situação e nunca baixaram os braços, bem pelo contrário: lutaram, continuam a lutar e tornaram-se verdadeiras GUERREIRAS!

Para todas Elas (as que lutam e as que lutaram) deixo estas rosas para que o seu perfume possas tornar o dia de hoje ainda mais perfumado.




Para todas as Mulheres que ainda se encontram em fase de luta, deixo a luz desta vela
para que as ilumine no seu precurso e as lembre sempre que devem ter Força, Fé e Coragem.



A todas vós, o meu maior respeito e admiração.

21 de outubro de 2008

Até Já




Este é o meu canto de letras...
O canto onde posso contemplar a vida.
Aqui conheci bons amigos... foi aqui que partilhámos momentos juntos, bons e maus, com sorriso e lágrimas.

Mas existem momentos em que precisamos seguir em silêncio, um silêncio partilhado, mas silêncio.
Esta não é uma despedida, não é de todo um adeus, apenas um até já, até ao dia em que me voltem as palavras...

17 de outubro de 2008

Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza



Vamos fazer algo mais do que pensar, do que lamentar...




Pensei em escrever algo sobre este tema...

Um tema actual, real e muito doloroso.

Depois de ter lido o que escreveu a minha amiga Cátia resolvi não escrever mais e convidar-vos a visitarem o Ticho e a lerem o que ela escreveu, de forma bastante emotiva, sobre o dia de hoje.

16 de outubro de 2008

Dia Mundial da Alimentação

Porque hoje se comemora o Dia Mundial da Alimentação, considero premente pararmos para pensar num dos grandes flagelos dos nossos dias:



A FOME no Mundo...

E que não seja apenas hoje...

15 de outubro de 2008

Cansaço

Preferivel admitir este meu cansaço...
É mesmo assim que estou: cansada... A precisar de recuperar forças.
Pensamento principal para os próximos dias: Descansar!!



10 de outubro de 2008

Divagando

"Não é a luta perdida
a dor que mais nos alcança;
A prova maior da vida
É ter perdido a esperança!"
Mariana Luz

"Viver é a coisa mais rara do mundo.
A maioria das pessoas não faz mais do que existir."
Oscar Wild

"Quando esperamos, os segundos são anos.
Quando recordamos, os anos são segundos."
Paul Borget

"Fazer o bem é atrair a si mesmo todas as influências de bondade;
Fazer o mal é carregar-se de contrárias e destruidoras influências."
Trine

4 de outubro de 2008

Desafio

Um desafio muito interessante!
Foi o que a Cátia fez; e fez muito bem! Além de lazer, permite interagir com outras pessoas da blogosfera e assim aprofundar um maior conhecimento entre alguns de nós.

6 coisas com que me preocupo

- A minha familia
- A minha filha (está ainda acima da minha familia)
- A fome no Mundo
- O futuro das nossas Crianças
- Os meus Amigos verdadeiros (e na hora de aflição,
até com aqueles menos verdadeiros)
- Com o aumento constante da violência

6 coisas com que não me preocupo

- "Cusquices"
- Previsões politico-económicas (raramente são
verdadeiras)
- Politica
- Discussões (dificil entrar!)
- Opinião dos "outros" a meu respeito
- Futebol

6 coisas de que gosto

- Ler
- Música
- Ter os meus momentos sozinha
- Fotografia
- O Mar
- Momentos com os amigos

6 coisas de que não gosto

- "Más linguas"
- Ingratidão
- Injustiça
- Luta por protagonismo
- "Ser cilindrada" por alguém em quem confio
- Violência

6 coisas que me fazem sorrir

- O sorriso da minha filha
- A felicidade daqueles que me rodeiam
- Sentir-me útil
- Uma criança
- Conseguir alcançar um objectivo a que me proponha
- Um carinho sincero (sem segundas intenções)

6 coisas que me entristecem

- Violência
- Crianças maltratadas
- As lágrimas de alguém de quem gosto
- Saudade de alguém
- Falta de sensatez
- Fome no Mundo

6 coisas que me definem

- Preocupada (sempre! com tudo e todos!)
- Amiga
- Bem disposta
- Extrovertida
- Sensata
- Responsável

Cabe-me agora desafiar

6 blogs

- Careca Loira
- Novos Mergulhos
- Reflexos
- Sol no Coração
- Sindrome de Asperger
- Sonhos & Cª

A Luz da Minha Vida

3 de outubro de 2008

Inconstância

"Procurei o amor, que me mentiu.
Pedi à Vida mais do que ela dava;
Eterna sonhadora edificava
Meu castelo de luz que me caiu!

Tanto clarão nas trevas refulgiu,
E tanto beijo a boca me queimava!
E era o sol que os longes deslumbrava
Igual a tanto sol que me fugiu!

Passei a vida a amar e a esquecer...
Atrás do sol dum dia outro a aquecer
As brumas dos atalhos por onde ando...

E este amor que assim me vai fugindo
É igual a outro amor que vai surgindo,
Que há-de partir também... nem eu sei quando..."

Florbela Espanca

26 de setembro de 2008

Quero ser jardineira para sempre

"Cada pessoa, durante a sua existência, pode ter duas atitudes: Construir ou Plantar.
Os contrutores podem demorar anos nas suas tarefas, mas um dia terminam aquilo que andaram a fazer. Então param, e ficam limitados pelas suas próprias paredes. A vida perde o sentido quando a contrução acaba. Mas existem os que plantam. Estes, às vezes, sofrem com as tempestades, as estações, e raramente descansam.
Mas, ao contrário de um edificio, o jardim nunca pára de crescer. E, ao mesmo tempo que exige a atenção do jardineiro, também permite que, para ele, a vida seja uma grande aventura."
Paulo Coelho

22 de setembro de 2008

"Jamais existirá uma pessoa que possua algo além dos seus próprios pensamentos.
Nem as pessoas, nem os lugares, nem as coisas, podem ser possuídos por muito tempo.
Percorremos um troço do caminho com eles, mas, mais cedo ou mais tarde, todos teremos de tomar posse dos nossos verdadeiros bens - as nossas experiências de vida e pensamentos - e seguir caminho por solitárias veredas"
Richard Bach

21 de setembro de 2008

O Dia de Festa

Foi um dia muito especial! Pelos mais diversos motivos...
Mas vou centrar-me no principal acontecimento: o baptizado do meu sobrinho!
O Gonçalito portou-se mesmo muito bem! Foi uma cerimónia muito bonita, muito terna. O bebé estava lindo e os pais não ficaram atrás!!! O meu menino (o de 30 anos) estava muito elegante (para não variar!!).
A festa foi excelente; tudo com o bom gosto que caracteriza "os meus meninos".
Quem estava mais "babado"? Pais, avós, tia ou prima??... (ainda não encontrei uma resposta ponderada)
Não faltou alguma emoção... Já seria normal....Ainda mais quando o papy está de partida para a República do Gana. Uma ou outra vez: lágrimas!!!
Á noite, quando começaram a actuar alguns fadistas amadores, o primeiro fado teve a dedicatória "para o Sr. Arriaga que embarca segunda-feira para África e vai estar ausente alguns meses"; o que aconteceu? Alguns olhos transbordaram...
Muita alegria, muita felicidade com alguma saudade, antecipada, à mistura!
No momento do meu irmão soprar as velas, a emoção também voltou a reinar... Parecia que tudo tinha uma força diferente.... A minima das coisas provocava emoções mais fortes...

Foi um dia para recordar com muita ternura e carinho; um dia bonito em que se sentia a harmonia familiar que existe entre todos (desde os mais pequenitos - que brincaaarrraaaammmm - aos mais velhos).
Quanto ao papy, resta-me entregar estes próximos tempos nas mãos de Alguém com Força para o proteger. Não posso, nunca, deixar de pensar que está em causa uma questão de realização pessoal e, acima de tudo, vontade própria.
E do que é feita a história da nossa vida?
De episódios que vão dando páginas que se vão criando e virando...
E só com estes episódios e com estas páginas é possivel deixarmos marca de por onde e por quem passámos.

19 de setembro de 2008

Gonçalito

Amanhã vai celebrar-se o baptizado do membro mais novo da familia Arriaga.

O Gonçalo tem nove mesitos, é meu sobrinho, filho do meu irmão, que completa, amanhã, 30 anos de vida!!!

Vai ser um verdadeiro dia de festa!! Familia toda reunida: desde os mais velhos aos mais pequenitos.

Querido sobrinho, prepara-te para amanhã (a prima já avisou: a água é muito fria - será que se lembra?, tinha quatro meses....estas minhas crianças)

Gonçalito, até amanhã...

17 de setembro de 2008

Intervalo

Por motivos de ordem técnica, o "intervalo" vai ficar apenas um intervalo.

O clip, esse, voltará mais tarde, logo que os problemas técnicos se encontrem ultrapassados.....






Uma das músicas que marcam este Verão.
(na minha modesta opinião, claro)

12 de setembro de 2008

Convicções... Inseguranças...

Hoje, logo pela manhã, senti (como se não houvesse sentido antes...) o quanto a minha filhota está crescidinha...
Primeiro dia de aulas (porque ontem foram apenas as apresentações e "isso não conta mamã")...
De regresso ao uniforme do colégio, olhou-se ao espelho e disse "prego um susto ao medo"... Não!! Estava muito bonita, crescida, com um ar responsável...
Ao sair de casa (o papá foi levá-la ao autocarro), carrega a mochila às costas e diz " até logo mamã"... E foi aí... Foi aí que senti que a minha postura, as minhas palavras foram diferentes: como é habitual dei-lhe um beijinho, mas saiu-me uma frase diferente do que vinha sendo até aqui "não te esqueças de te portares sempre muito bem... a mamã ama-te muito". E lá foi ela rumo ao inicio do seu quarto ano.
Até agora recomendava sempre cuidado, atenção, educação, etc, etc.... Hoje senti que estas palavras tiveram uma conotação diferente... Como se não houvesse a necessidade de recomendar tudo o resto; como se tivesse a certeza de que naquelas palavras ela iria encontrar tudo o que queria transmitir sem ter que repetir o "discurso" de sempre....
Convicções?...
Inseguranças?...
Mãe e Filha!!!!

11 de setembro de 2008

Amigo

Passo, agora, as palavras maravilhosas que me foram oferecidas por alguém ainda mais maravilhoso... Não são as palavras que são maravilhosas: o seu reflexo - esse sim! Ainda mais quando reflectidas por alguém que, num momento inesperado e de forma incrivelmente marcante, entra na minha vida... Alguém para quem ainda não encontrei as palavras exactas para definir... Não é verdade! Este alguém definiu-se (sem saber)com estas palavras:

"Um Amigo é um cúmplice no olhar, que te reconhece nos olhos os sentimentos, as alegrias e as preocupações. Amigo é quem te seca as lágrimas e quem alimenta o teu sorriso.

Amigo é um irmão que te acompanha pela vida, aplaude da primeira fila em tempos de vitórias e ajuda a levantar sempre que caímos, não importa quantas vezes serão.

Amigo é alguém com quem te ris, brincas, falas, mas com quem também choras e contas o que tens medo de dizer em voz alta. Amigo é o que te escuta com atenção como se não existisse mundo lá fora.

Um Amigo aconselha e diz que "não" quando assim tem que ser, mas que está ao nosso lado quando tomamos uma decisão, mesmo que não seja acertada.

Amigo é aquele que dá sem esperar contrapartida, porque sabe que a partilha é o retorno.

Amigo é aquele que o tempo não apaga, que a distância não esquece e que a maldade não destrói.

Amigo é ternura, carinho, respeito, uma festa na cara e um beijo na testa. Amigo é aquele que diz que és importante na sua vida, e te mostra o quão gosta de ti. Amigo é um tesouro único que nos reconhece num sorriso e que nos protege na profundidade de um abraço enquanto nos fala em silêncio.
Ticho"

8 de setembro de 2008

RR


Simplesmente...
....lindo (por dentro e por fora!)

Para sempre nos nossos corações!!

3 de setembro de 2008

É Urgente o Amor

"É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer."

Eugénio de Andrade

1 de setembro de 2008

Don't You Forget About Me




"O VERDADEIRO SIGNIFICADO DAS COISAS É ENCONTRADO AO DIZER AS MESMAS COISAS COM OUTRAS PALAVRAS"

CHARLES CHAPLIN

29 de agosto de 2008

True Love Will Never Fade

1 Semana...

Faz hoje uma semana...

A ideia de que tudo é um pesadelo continua, teimosamente, a prevalecer...

Mas a dor... a dor da realidade...
E os porquês... aumentam, aumentam.
Não há lugar para a fantasia... Apenas a realidade...

Uma semana...

28 de agosto de 2008

Erguer!!

De volta (só agora) ao escritório, e após uma conversa dolorosa com o meu marido e um grande amigo de infância do Rui, cheguei a uma conclusão inevitável...
Estou a sofrer: é verdade! Mas, a partir deste momento, vou tentar abstrair-me um pouco das mazelas interiores... Sem mencionar a familia do Rui, tenho, perto de mim, pessoas que estão a sofrer muito mais do que eu! Precisam de mim! Pois bem: erguer, limpar armas, e dar o meu carinho e a minha atenção a quem dela neste momento tanto necessita.
Ainda é um pouco cedo... Ainda ando a lamber as minhas feridas, MAS, vou lambê-las escondida e dar todo o meu apoio a quem está bem mais ferido do que eu... E, obviamente, não vou deixar margens para a fraqueza! Tenho que ser forte! Só com força irei conseguir amparar a dor dos mais queridos, nunca esquecendo de que o Rui queria ver todos sempre a sorrir... Sorrir era uma das regras base da vida dele.
Vou sorrir e ajudar a sorrir!

27 de agosto de 2008

Até Sempre...

Terminou...
Ontem tudo acabou com a esperança de que os últimos dias não passassem apenas de um pesadelo.
A dor é muito grande.

Não imaginava viver o turbilhão de emoções que me assolam a alma desde o momento em que recebi a noticia de que tinhas partido...
É mau demais!
Uma mistura confusa de sentimentos: aceitação, indignação, dor, admiração, amizade...
Ainda não encontrei forma de conseguir entender o que estou a sentir. Este aperto no peito que teima em não sair...

Vais viver, sempre, no meu coração! Como menino querido e especial que eras.

E eras assim com e para todos. Sente-se a presença da tua amizade e, também, da saudade que deixas em tantos olhares...inundados de lágrimas e carregados de angústia.
Citando palavras da emocionante despedida do teu irmão, "eras um homem com um h grande, muito grande, daqueles dificeis de encontrar".

Não eras! Vais continuar a ser! Sempre!

Até sempre meu querido Amigo!

26 de agosto de 2008

A Espera...

Apesar do dito popular de que "saber esperar é uma virtude", os últimos dias, estas últimas horas são de um verdadeiro massacre interior...
A realidade já sei qual é: partiste...
Apesar de ter a consciência de ser a última vez em que te vejo fisicamente, a espera pelo momento final parece interminável...
Não tem sido nada fácil imaginar como te sentirias, e, pior, não ter havido um único sinal perceptivel de que nessecitavas da ajuda de todos nós...
Ao levares a cabo a tua intenção, porque não falhaste??? Iamos estar todos aqui para te agarrarmos... Não deixaste margem para falhas... É impossivel não chorar, não sentir um arrepio de cada vez que recordo o teu sorriso contagiante... Estavas sempre de bem com a Vida... como poderia alguém ter percebido...???

24 de agosto de 2008

Rui Roda


18-10-1977 - 22-08-2008

Quase parece impossível....
O Rui partiu...
Na sexta-feira, ao final da tarde, fomos confrontados com a partida de mais um grande Amigo... Ainda ninguém acredita.... Não é fácil acreditarmos!!! Como pode amigo tão especial, tão querido por todos, partir desta forma???!!!
Partiste de uma forma tão violenta... Poderá existir uma forma de entendermos?....
Meu querido amigo, irás estar sempre no coração de todos nós...
Eras um menino muito especial para mim...
Ainda não existem palavras para escrever ou descrever o que se está a passar neste momento de tristeza, revolta, frustração, .....
PORQUÊ????!!!!!!
("porquê" será sempre um eco na cabeça e coração de todos os que te amavam....)

21 de agosto de 2008

Murmúrio



"Traze-me um pouco das sombras serenas
que as nuvens transportam por cima do dia!
Um pouco de sombra, apenas,
- vê que nem te peço alegria.

Traze-me um pouco da alvura dos luares
que a noite sustenta no teu coração!
A alvura, apenas, dos ares:
- vê que nem te peço ilusão.

Traze-me um pouco da tua lembrança,
aroma perdido, saudade da flor!
- Vê que nem te digo - esperança!
- Vê que nem sequer sonho - amor!"

Cecília Meireles

14 de agosto de 2008

Duarte Vieira


12-04-1973 - 02-08-2008


Após onze longos dias de espera, acompanhámos, ontem, o Duarte àquela que será a sua última morada.
A tristeza, o pesar, o inconformismo eram nitidos nos rostos das centenas e centenas de amigos, que, em conjunto com os familiares, se despediam de alguém muito querido.
Sendo impossivel considerar que uma cerimónia fúnebre possa ser bonita, atrevo-me a dizer que foi das cerimónias de despedida mais emotivas que até hoje vivi... A celebração da missa, a despedida proferida pelo padre e amigo, a música dedicada por um dos grupos de amigos, o silêncio no percurso para o cemitério, os rituais efectuados por um outro grupo de amigos aquando do sepultamento........ Tudo repleto de uma carga emotiva indescritivel.... Mostra o quanto és amado por todos, Duarte!
Uma perda irreparavel para muitos.... 35 anos, apenas... Um Homem activo, que participava e vivia tudo o que a vida lhe oferecia gota por gota... Duarte encontrava-se de férias com a esposa e o único filho de sete anos na República Dominicana há apenas dois dias, quando foi vitima de um enfarte do miocárdio, tendo morte imediata. Não teve uma segunda chance....
Uma esposa, um filho, uma mãe....., uma familia, muitos amigos... Todos te choram.


Até Sempre Duarte

13 de agosto de 2008

Tormentas....




"O ÚNICO TIRANO QUE ACEITO NESTE MUNDO É A PEQUENA VOZ SILENCIOSA QUE HÁ DENTRO DE MIM"
Gandhi

11 de agosto de 2008

E Por Vezes as Noites Duram Meses...

"E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos E por vezes

encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes

ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se envolam tantos anos."

David Mourão Ferreira

1 de julho de 2008

"A maior Solidão"

"A maior solidão é a do ser que não ama. A maior solidão é a dor do ser que se ausenta, que se defende, que se fecha, que se recusa a participar na vida humana.
A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo, o que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro. O maior solitário é o que tem medo de amar, o que tem medo de ferir e ferir-se, e ser casto da mulher, do amigo, do povo, do mundo. Esse queima como uma lâmpada triste, cujo reflexo entristece também tudo em torno. Ele é a angústia do mundo que o reflecte. Ele é o que se recusa às verdadeiras fontes de emoção, as que são o património de todos, e, encerrado em seu duro privilégio, semeia pedras do alto de sua fria e desolada torre."

Vinicius de Moraes

30 de junho de 2008

Há 9 Anos


Nasceu um anjo...

O verdadeiro anjo da minha vida.

PARABÉNS MEU AMOR!!!!

26 de junho de 2008

"Vaidade"

"Sonho que sou a Poetisa eleita,
Aquela que diz tudo e tudo sabe,
Que tem a inspiração pura e perfeita,
Que reúne num verso a imensidade!

Sonho que um verso meu tem claridade
Para encher o mundo! E que deleita
Mesmo aqueles que morrem de saudade!
Mesmo os de alma profunda e insatisfeita!

Sonho que sou Alguém cá neste mundo...
Aquela de saber vasto e profundo,
Aos pés de quem a Terra anda curvada!

E quando mais no céu eu vou sonhando,
E quando mais no alto ando voando,
Acordo do meu sonho... Eu não sou nada!..."

Florbela Espanca

17 de junho de 2008

Princesa

A ti eu dedico as minhas horas, os meus dias...
... toda a minha vida.
Por ti eu perco, por ti eu venço...
Por ti eu choro, contigo solto gargalhadas...
Esse teu olhar meigo, o teu sorrisos mágico.
A tua força, o teu amor, a tua luta diária...
Nunca permitirei que o teu sorriso perca essa magia!
Quando já não puder proteger o teu olhar, o teu sorriso, estou certa de que nada do que te é tão caracteristico será por ti perdido...
Quando chegar o momento de abrires asas e levantares voo...
Nada irás perder!
Esse olhar, esse sorriso... - são só teus;... partilha-os sempre, mas, nunca permitas que algo ou alguém se apodere desse brilho que emanas apenas com um OLHAR...
E:
Por ti eu perco, por ti eu venço!
Por ti eu perderei, por ti eu vencerei!
Sempre!!!

16 de junho de 2008

Crueldade

Quantos filhos terá dado à luz a indiferença?!
E a solidão?!
Serão muitos os destroçados que continuam uma tentativa de abandonar semelhantes condições emocionais??
Crueldade... Como são crueis tais sentimentos....

13 de junho de 2008

Deficiências

"DEFICIENTE - é aquele que não consegue modificar a sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino,
LOUCO - é quem não procura ser feliz com o que possui,
CEGO - é aquele que não vê o seu próximo morrer de frio, fome, de miséria, e só tem olhos para os seus míseros problemas e pequenas dores,
SURDO - é aquele que não tem tempo para ouvir um desabafo de um amigo ou o apelo de um irmão, pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir os seus tostões no fim do mês,
MUDO - é aquele que não consegue falar do que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia,
PARALÍTICO - é quem não consegue andar na direcção daqueles que precisam da sua ajuda,
DIABÉTICO - é quem não consegue ser doce,
ANÃO - é quem não sabe deixar o amor crescer,
E, finalmente, a PIOR das deficiências é ser MISERÁVEL, pois:
MISERÁVEIS - são todos os que não conseguem falar com Deus!"
Mário Quintana

9 de junho de 2008

Prima Clarisse...

Saudades...
Há já quase um ano...
Serei egoísta?! Queria muito que tudo o que se passou fosse SÓ um pesadelo... aqueles pesadelos que, ao acordarmos, nos deixam tontos... confusos entre o sonho e a realidade...
Mas não!! Não é um pesadelo... É a dura e pura realidade: partiste...
Levaste contigo tanto de mim... levaste contigo tanto de todos os que te amam...
Quando irei conseguir secar as minhas lágrimas?! Ainda caem...
Sei que "chorar é dor e que recordar é amor" (palavras tuas...); ainda não consegui arrancar as lágrimas das doces lembranças!
Dos Anjos que Deus permite que permaneçam na Terra, foste um dos que de mais perto conheci... e que bem que me conheceste!... Tão bem como poucas pessoas o conseguiram até hoje...
Levaste tanto de mim e deixaste-me tanto de ti...
Como sofreste...Descansa... Estou certa de que Deus te abraçou ainda a alguns segundos do teu último suspiro...
Sei que sou muito egoísta!!!: queria-te aqui, junto a nós, os que te amamos...
Mas, e tu? Apesar de toda a disposição que tinhas para com a vida, o sofrimento era muito... como me lembro...
Preciso conseguir deixar a emoção um pouco mais ao lado e ser racional! Tentar interiorizar que, de sofrimento, já tinhas um overdose!!! Tantos anos....
E... Tantas coisas que planeámos para as quais já não tiveste tempo... Mas, guardo todos (e são muitos!!!) os momentos que vivemos, todos os sorrisos que trocámos, gargalhadas sem motivo, a cumplicidade e desabafos mais profundos...
Existem elos que não se quebram e, acredito, que o NOSSO é um deles!!
Vais estar sempre, sempre no meu coração....

All my love, my sweet butterfly

5 de junho de 2008

Divagando...

"Cada um é tão infeliz quanto acredita sê-lo."
Séneca

"O amor é a mais nobre fraqueza de espirito."
John Dryden

"Só conhece realmente uma pessoa quem a ama sem esperança."
Walter Benjamin

"A felicidade não é um prémio da virtude, é a própria virtude."
Baruch Espinoza

"Nunca a fortuna põe um homem em tal altura que não precise de um amigo."
Séneca

"O saber é a parte mais considerável da felicidade."
Sofocleto

4 de junho de 2008

"Sara"

" O meu nome é Sara
Tenho 3 anos
Os meus olhos estão inchados; não consigo ver.
Eu devo ser muito má, muito estúpida... Nada mais poderia pôr o meu pai neste estado! Gostava tanto de ser uma boa menina; gostava de ser bonita!, então, talvez, a minha mãe me desse miminhos.
Não posso abrir a boca para falar, não posso fazer asneiras: fico trancada todo o dia!!
Quando acordo estou sozimha. A minha casa está escura. Os meus pais não estão cá. Quando a minha mãe chega tento ser meiga senão levo uma chicotada à noite.
Chhhiiiu... Estou a ouvir um carro...Ai!, é o meu pai que chegou do bar ao fim da rua. Já o ouço a dizer palavrões. Chamou-me... Tenho tanto medo!!! Vou esconder-me. Ele encontra-me e vê que estou a chorar. Atira-me ao chão... Ele diz que sou a culpada por ele não ter uma vida melhor.
Ele báte-me, dá-me murros, grita, grita e continua a bater-me...
Consigo fugir para a porta mas ele já a trancou.
Ele agarra em mim e atira-me contra a parede. Caí no chão com os meus ossos quase partidos...
Ele continua, com palavrões, a acusar-me de tudo...
'Desculpa papá'
Mas já é tarde... A cara dele parece transformada.
Tenho tantas dores, tantas feridas...
'Meu Deus, por favor, faz com que ele pare'
Finalmente, ele pára e vai para a rua.
Fico deitada, imóvel no chão.
O meu nome é Sara
Tenho 3 anos
O meu pai matou-me esta noite"

(Texto de um e-mail que recebi)

Fica-nos uma questão:
quantas Saras??!!, e quantos pais como o da Sara??!! cruzam diariamente o nosso caminho... Saras frágeis e sofridas e pais de Saras monstruosos e dissimulados...
Quantos...
As crianças não têm, não devem e não podem sofrer por qualquer tipo de frustração existente na vida dos pais! Pai e Mãe são AMOR, Protecção, Carinho, Dedicação...... Filhos são dádivas!
Não podemos, não devemos assumir uma atitude passiva relativa a este tipo de situações: elas existem mesmo!! E quantas se desenrolam bem mais perto de nós do que possamos imaginar...
O sorriso de uma Criança é, AINDA, das poucas coisas que nos indica o caminho da Esperança, da Paz, do Amor...
Não permitamos que o percam!!!

27 de maio de 2008

18-09-1933

"Tenho tanto sentimento
Que é frequente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.

Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.

Qual porém é a verdadeira
E qual a errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar."

Fernado Pessoa